Frenagens de emergência

(1/5) > >>

heliorsilva:
Frenagens de Emergência
(Motos sem ABS)


Esta é uma situação que deve receber a mais alta prioridade em termos de ensinamento e prática, aliás deve ser a primeira lição antes mesmo de se iniciarem os treinos práticos.
Muito mais difícil do que disparar com uma motocicleta é para-la utilizando o espaço disponível entre a moto e o obstáculo, principalmente quando esse obstáculo surge de surpresa.

Antes de mais nada alguns pontos devem ficar bem claros:

1)   O freio mais eficiente e responsável por parar a moto é o freio dianteiro.
2)   A manete do freio dianteiro deve ser espremida com os 4 dedos da mão de forma constante e não na base golpes e SEMPRE com a moto sem inclinação e com a direção reta.
3)   Caso a roda dianteira bloqueie, alivie a pressão na manete e rápidamente volte a pressiona-la tantas vezes quantas se fizerem necessárias até a parada total da moto. Esse procedimento  simula o efeito do ABS (Anti Block System) que evita o bloqueio da roda.
4)   O freio traseiro deve ser usada nas baixas velocidades que, em conjunto com o uso do acelerador e da embreagem, permite manobras em baixa velocidade sem perda do controle da moto.
5)   Caso o freio traseiro bloqueie a roda, mante-lo pressionado não permitindo que a roda traseira volte a girar, pois se isto acontecer  ela tentará se alinhar e a traseira da moto será jogada de um lado para outro catapultando o piloto da moto.

Como vimos, existem pontos que devem ser considerados quando uma frenagem de emergência se fizer necessária. Antes de mais nada tente mentalizar que acima de uma determinada velocidade (30 Km/h) o freio a ser utilizado é o dianteiro. Para isso, ao atingir esta velocidade fale com você mesmo: “-Freio da frente !”, “-Freio da frente !”, “-Freio da frente !”, até que, se possível,  fique registrado em seu subconsciente.
Habitue-se a andar com os dedos (todos) na manopla do acelerador, o uso de dois dedos na manete do freio só se justifica nas provas de motovelocidade quando, ao mesmo tempo em que freia, o piloto mantém o giro do motor nas alturas. Frear com dois dedos apenas, além da perda de eficiência no espremer a manete, pode causar esmagamento dos dedos que ficam entre a manopla do acelerador e a parte traseira da manete do freio.
Ao se deparar com um obstáculo imprevisto e tendo decidido pela frenagem, esprema a manete do freio dianteiro com firmeza, mantendo o olhar em frente. Caso a roda dianteira ameace bloquear (o pneu começa a “cantar”), alivie a pressão e rápidamente volte a pressionar a manete do freio dianteiro, repita se for necessário.  
Embora existam autores que recomendem a utilização do freio traseiro em conjunto com o dianteiro, preferimos utilizar apenas o freio dianteiro em frenagens de emergência pois se a a roda traseira bloquear, o que tende a ocorrer quando pressionamos fortemente o freio dianteiro e o peso da moto se desloca para o eixo dianteiro reduzindo a aderência do pneu traseiro com o solo, a moto derrapará agravando o problema do piloto, que terá de manter o pedal pressionado sob pena de ser cuspido da moto se solta-lo.  Mais grave ainda será o bloqueio de ambas as rodas, pois o freio dianteiro terá que ser aliviado e o traseiro continuar pressionado, exigindo que comandos antagônicos sejam rápidamente executados por um piloto sob uma intensa pressão mental. Nestes casos é preferível, e muito mais seguro, adotar apenas o freio dianteiro. Somente após muito treino e alcançado o domínio total da técnica deve ser utilizado o freio traseiro em conjunto com o dianteiro em uma frenagem de emergência.
Exercícios práticos de frenagens de emergência devem ser realizados em locais adequados e sob supervisão/orientação de instrutor com experiência no tema.

Valladares - Rio:
Me dá arrepios só de ler...  :o
Valeu, Hélio.
Sds,

OSKAR:
Na hora do pega pra capar, quero ver o cara raciocinar  :laugh: :laugh: :laugh:

heliorsilva:
Grande Oskar,

a idéia é não raciocinar mas sim transformar em uma reação automática e isto só se consegue com treino, treino e treino.

Abração,

Zan ®:
Uso sempre os dois freios (bem mais o dianteiro) e freio com 2 dedos no manete, na grande maioria das vezes. Só uso os quatro em situação de emergência.
Usar um freio apenas, quer seja o dianteiro ou o traseiro, numa situação de emergência, reduz drasticamente a capacidade de frenagem da moto.

Já travei a roda traseira milhares de vezes e nunca fui catapultado por soltar o freio traseiro durante a frenagem, nessas condições. Talvez eu tenha entendido errado...
No fora de estrada, então, nem se fala. A roda traseira trava direto. Você freia e solta pra corrigir.
Aliás, como você mesmo diz, quando o freio quer travar, você solta, "simulando" um ABS.

 [harley]


Navegação

[0] Índice de mensagens

[#] Página seguinte